Pular para o conteúdo principal

Aconteceu naquela festa de Halloween (feat. Cadimes)

Fonte: Arquivo pessoal, 2020.



Sexta-feira, 29 de maio de 2020, eu sou Platonyco e tá começando mais um Sextou! Gente que semana agitada, hein. Vários exposed, vários nadas também e a gente vai seguindo o baile. E por falar em baile, hoje a gente não vai tratar sobre séries, filmes e etc. Hoje a gente vai falar do baile da vida real. Por enquanto eu vou abafar os meus babados, mas hoje quem vai espocar o dele é o meu querido Diego com sua magia e esta alegria Rasta, rastafari Afro-cigana da Shakira. E com magia e pura alma, possuído pelo ritmo exposed que movimentou o mundo da web essa semana, ele vai se apresentar.

Cadimes: Oi gente, tudo bem?! Eu sou o Diego ou Cadimes (depende) e hoje eu já tô aqui a convite do Tony para participar desse podcast. Obrigado, Tony, pelo convite e é isso aí.

Tony: Sexta é dia de tbt do rolê, sim. Você tá aí em casa, agora, sentado, pensando na sua antiga vida bandida. Vida esta onde você saia com seus coleguinhas e avisava sua mãe que ia para um jantar familiar, ou às vezes nem avisava porque já não sabia mais nem onde é que tava, enfim. Calma aí que a gente jajá te conta essa história, mas e aí, amigo, como é que tá as coisas, que tu tem feito nessa quarentena. Eu sei que tu és uma pessoa que curte ler muito! Então provavelmente deve tá atualizando os books.

Cadimes: A minha quarentena tá bem tediosa. Basicamente é só comer e dormir, assistir. Na verdade, eu meio que voltei a ler, né?! Eu costumava ler bastante antes, só que eu dei uma parada, aí eu tô tentando retomar agora. Tava lendo um livro, porém já acabou e eu tô aguardando os novos que eu pedi chegarem... provavelmente no começo do próximo mês eles devem tá chegando aí.

Tony: Gente fina é outra coisa.. eu tô um desastre com as minhas leituras, mas tô tentando seguir a rotina gradualmente. A propósito, quais livros tu encomendou?

Cadimes: Olha eu comprei O Hobbit e também O Guia Definitivo dos Mochileiros da Galáxia. se não me engano... esse nome. Foi de um review que eu vi no YouTube e achei bem interessante e acabei pegando várias dicas de livros lá no canal e é isso aí aguardar os livros chegarem pra ler e depois solicitar mais.

Tony: Eu sempre escuto as pessoas falando sobre O Hobbit, ele apesar de ter sido lançado em 1937 continua sendo muito atual. Todo mundo, principalmente quem faz licenciatura acaba se identificando muito com a escrita do filólogo e professor britânico J. R. R. Tolkien. Quanto ao O Guia Definitivo dos Mochileiros da Galáxia eu ainda não conheço o livro, mas eu dei uma pesquisada e vi que é uma trilogia muito famosa, escrita pelo Douglas Adams que já conta com mais de 15 milhões de exemplares vendidos ao redor do mundo... Enfim. Mas como eu disse no início, hoje não estamos aqui pra falar sobre ficção e sim sobre algo que aconteceu na tua vida, né, Cadimes?! A gente tá aqui pra falar sobre os bastidores dos rolês da vida. Provavelmente você vai se identificar com essa história... Mas, olha, Cadimes, eu me sinto muito honrado porque foi algo que você não compartilhou por aí, o que me faz sentir a própria Christina Rocha. Enfim, que sextou foi esse, mermão?!

Cadimes: Então, Tony... É muito engraçado! Ai meu Deus que vergonha. É... vamos lá então, né, sobre a historinha. Já faz algum tempo, não sei exatamente quanto tempo...eu acho que uns três, quatro anos atrás, né, enfim... Então foi basicamente assim: foi numa festa de Halloween com os amigos do serviço e tal, éramos acho que quatro/cinco no total e estávamos lá, chegamos e ficamos na porta lá, esperando o movimento crescer porque estava um pouco fraco e aí depois de meia hora ou uma hora, sei lá, do lado de fora, a gente resolveu entrar, pra ver como era que estava. e aí a gente entrou e ficou lá de boa, olhou o ambiente... Lá era um... Térreo, primeiro andar, né (ops... primeiro, segundo andar, depende) e a gente estava na parte de baixo, depois a gente ficou um pouco na parte de cima, né, pra fazer a ambientação do lugar, ver os boyzinhos e tal. E a gente resolveu comprar uma cerveja. Comprar cerveja pra gente.

Tony: hum... não trabalhamos com marcas, mas continua.

Cadimes: Então, aí compramos a cerveja e tal e foi basicamente instantâneo, na hora que eu tomei a cerveja, gente, a minha barriga começou a desandar, não sei o que aconteceu.

Tony: mermã kkkk

Cadimes: Só sei que a minha barriga começou a doer e eu queria ir ao banheiro e tal. Aí eu falei com a minha amiga, eu falei assim: Rafisia, minha amiga mais próxima, né?! Rafisia, eu preciso ir ao banheiro, não sei, não. Preciso ir ao banheiro... E fomos, procurar esse banheiro né e a gente tava na parte de cima e andou, andou e a gente acabou achando um banheiro na parte de baixo, só que não era tipo um banheiro de boate, onde entram várias pessoas e tal, era tipo um banheiro de casa mesmo.

Tony: e geralmente a gente só descobre essas coisas na hora, né? Mas quem me conhece sabe que quando chego em qualquer ambiente procuro logo o banheiro pra me familiarizar logo kkkk

Cadimes: Tá, aí eu entrei no banheiro, fechei lá a porta, fiz o que eu tinha que fazer e na hora que eu fui me limpar, eu olhei para o lado e eu vi que não tinha papel higiênico.

Tony: iiiii... Bom, primeiro que eu tô imaginando aqui a cena das branquelas onde Tifanny tem um surto com o queijo... Mas e aí, o que tu fez?

Cadimes: Aí eu fiquei assim, OMG. E agora, o que é que eu vou fazer? Será que eu vou ter que usar minha cueca pra me limpar, eu não posso sair daqui todo c***** né, e eu fiquei naquele drama e tinha gente começando a bater na porta né, as pessoas querendo usar o banheiro começaram a bater na porta, e eu fiquei OMG o que é que eu faço? Eu vou ter que usar minha cueca para poder me limpar?!

Tony: o pessoal já acha logo que está acontecendo uma reprodução ali dentro, o que não deixa de ser verdade, né?

Cadimes: aí depois de um tempinho pensando, eu falei assim: meu Deus eu tenho crédito aqui no meu celular eu vou ligar pra Rafísia! Eu peguei e liguei pra ela e falei: Rafísia, eu tô no banheiro, mas aqui não tem papel higiênico! Ai ela falou: Tá, Diego, eu vou procurar ali. Aí o povo batendo na porta querendo entrar no banheiro e eu lá, todo constrangido sem saber como ia me limpar, até que ela bateu na porta né, Diego, Diego. Aí eu fui ver ela trouxe um rolo de papel dentro de um copo, aí eu consegui me limpar lá, saí morto de vergonha.

Tony: um beijo para todas as Rafísias do Brasil.

Cadimes: aí quando saímos de lá né, depois desse constrangimento, tava só eu e ela, né, nessa parte, os outros não estavam perto da gente, estavam lá se divertindo, tal. Eu falei: Rafizia acabou essa história, acabou milho, acabou pipoca, então isso aqui não aconteceu e seguimos o baile, né. Como sempre fomos pra festa lá e tal, curtimos, né, eu como sempre não peguei ninguém. E é isso aí, foi essa historinha aí.

Tony: veado, quer dizer que tu a fez a egípcia? Eu taria era complexada com a síndrome do perfume de c***. Amigo que situação, hein. Ainda bem que tu te recuperou, porque eu conheço muita gente que tá traumatizada até hoje. E quando falo de gente, eu tô falando de mim mesmo. Cadimes, amor, obrigado pela participação

Cadimes: Gente, eu também tenho uma música e se você quiser escutar lá, né, bota lá no Spotify, Cadimes, Quem Sabe Um Café, escutem lá, minha “songzinha”, dá o play lá e compartilha. Obrigado, beijo, tchau, tchau. Até a próxima!

Tony: Sim, é pra dar muito stream na lenda, mais um sobrevivente das noitadas em São Luís. A transcrição completa desse episódio você pode consultar no blog: http://platonyco.com.  E como vocês já sabem O podcast Sextou com Platonyco também está disponível nas principais plataformas digitais: Spotify, iTunes, GooglePodcasts, Castbox e demais plataformas, compartilhem. Sexta que vem tem mais, cheiro!

Episódio anterior - A crítica social em Corra! (feat. Karol Abreu)

Episódio seguinte - Resistência e Redescoberta - a importância do #BlackLivesMatter.



created with MySignature.io

Platonyco | Estudante de Letras
| Criador do Sextou com Platonyco
| mobile:  (98) 9 91552450
Create your own signature

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfretamento ao Racismo (feat. Prof. Leandro Costa)

Sexta feira, 12 de junho de 2020, finzinho de mais uma semana, que mais uma vez foi tensa e que seguiu com os protestos antirracistas ao redor do mundo. Em meio à pandemia, as pessoas seguem se mobilizando, à sua maneira. Eu comentei recentemente que nós temos a tendência de tentar apagar aquilo que nos fere ou feriu quem a gente ama. Para algumas pessoas é mais fácil fingir que o assunto nunca existiu, mas pra outras fica marcadas desde sempre. Porque elas perdem alguém, porque uma filha perde seu pai quando vai ao supermercado ou uma mãe perde seu filho enquanto está trabalhando. No episódio de hoje convidei Leandro Costa que é professor da Faculdade Santa Terezinha - CEST, é doutorando em ciências sociais pelo PPGCSOC-UFMA e membro do grupo de estudos Lutas Sociais, Igualdade e Diversidade (LIDA-UEMA). Formado em Ciências Sociais pela UEMA e mestre em Ciências sociais pela UFMA, é professor das áreas de Sociologia e Antropologia pra explanar um pouco mais sobre o racismo. Seja bem-…

Milagre na Cela 7 e Uma Lição de Amor: histórias conectadas e muito choro!

E mais uma sexta-feira chuvosa, 15 de maio de 2020, chegou e com ela chegou também o Sextou com Platonyco. Hoje eu vou tratar com vocês sobre dois filmes que são super emocionantes, inclusive um que pelo seu recente sucesso tem sido comentado por muita gente. Confesso que fiquei relutante no início pra assistir, mas olha... fazia muito tempo que eu não chorava com uma produção tão sensível quanto essa. Isso porque Milagre na Cela 7 te faz refletir sobre princípios e valores que se fazem raros em nossos dias. Dirigido por Mehmet Ada Öztekin, esse é um filme turco adaptado do filme sul-coreano Miracle in Cell No 7 de Lee Hwan-gyeong (2013).E não dá para falar de o Milagre na Cela 7 sem lembrar é claro de Uma Lição de Amor, filme de 2001, dirigido por Jessie Nelson e que teve no elenco Sean Penn, Michelle Pfiffer e as irmãs Dakota e Elle Fanning. Mas antes de falar um pouco mais sobre esses filmes quero deixar claro para quem tá chegando agora que o objetivo desse podcast não é dar spoil…

Resistência e Redescoberta - a importância do #BlackLivesMatter

Era uma segunda-feira, 25 de maio, você provavelmente estava no conforto da sua casa ou talvez no trabalho, talvez até mesmo pensativo sobre os rumos em que o distanciamento social está tomando. Nesse mesmo dia, um homem negro, de 46 anos, é acusado de comprar cigarros usando uma nota falsificada. Desarmado, ele é rendido e imobilizado com o joelho de um policial em seu pescoço por mais de nove minutos, mesmo avisando que não conseguia respirar, ele é negligenciado e morre. Uma adolescente de 17 anos filma tudo e rapidamente o vídeo toma conta das redes sociais, o que gera diversos protestos e manifestações nos EUA e ao redor do mundo, encorajando, inclusive movimentos já existentes contra a violência racial aqui no Brasil. Mesmo com a hashtag #BlackLivesMatter se multiplicando nas redes sociais, o que é interessante, já que é uma luta de todos contra o racismo, as nossas atitudes (e quando digo nossas, eu me incluo nessa categoria) precisam muito ainda serem revistas e desconstruídas…